Fale Conosco: (21)3613-8369 | Twitter da Fizzy Facebook da Fizzy Linkedin da Fizzy Google Plus da Fizzy Instagram da Fizzy Email de contato
Blog
01 nov 2016

Marketing digital político: Acabaram as eleições. E agora?

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Quando se trata de marketing político digital, ganhar ou perder uma eleição é mero detalhe. Independentemente do resultado, a menos que você não tenha mais nenhum objetivo com sua carreira política, o trabalho pós-eleições está apenas começando, já que a importância do marketing digital para políticos é indiscutível.

Eleito ou não, um post de agradecimento pelos votos recebidos é óbvio em toda página política, logo após o resultado das eleições. No entanto, é necessário ir muito além disso, e de forma profissional.

Post de agradecimento do vereador Fernando William

Por onde começar o marketing digital depois das eleições

 

Um trabalho de marketing político digital, principalmente pós-eleições, deve partir de um planejamento completamente novo. O objetivo é focar em um posicionamento digital que condiga com o perfil do político e seja real aos olhos do eleitor.

Assim, passadas as eleições, é hora de novos planos, a curto, médio e longo prazo. O trabalho deve ser realizado com uma equipe formada por profissionais, um cronograma detalhado, pautas previamente definidas, de acordo com o cenário político do momento e as perspectivas futuras, e, sobretudo, com estratégias que deixem claro o posicionamento do político nas mídias digitais.

Qual a diferença de posicionamento digital entre o político que já tem mídias sociais e o que ainda não tem?

 

O posicionamento de um político nas mídias digitais vai muito além do resultado das eleições. É um trabalho permanente, segmentado e de fortalecimento da sua imagem pessoal junto ao seu eleitor. A questão a ser discutida não é sobre ganhar ou perder, mas como você quer aparecer no universo online para seus eleitores.

Posicionamento para políticos que não têm mídias digitais

 

Como você quer ser visto nas mídias digitais por seus eleitores? Essa pergunta deve ser feita ao político que – não se sabe o porquê – ainda não tem um trabalho de marketing digital, no entanto, está pensando nisso e precisando iniciá-lo. O trabalho online deve partir da resposta a essa pergunta.

Para posicionar-se de forma correta, você precisa conhecer os caminhos para chegar lá. Como pessoa pública e representativa, o político tem que assumir uma posição de diálogo com seu eleitor, que, por sua vez, já está recebendo uma série de informações de seus adversários, ou seja: você precisa correr!

Antes de se posicionar nas mídias digitais:

  • estude o comportamento de seu eleitor nas redes sociais;
  • ouça o seu eleitor;
  • posicione-se de forma coerente com a sua carreira política;
  • veja o trabalho digital de outros políticos, principalmente de seus concorrentes diretos;
  • pense numa identidade visual que diga algo à sua região e ao seu eleitor.

Diferentemente de quem já tem uma presença digital, o político que ainda não está online precisa criar um posicionamento tendo em mente que vai atingir um público muito maior e mais interativo, de olho em suas ações e de seus adversários.

Monte uma equipe qualificada, de preferência com o auxílio de uma agência de marketing digital, pois assim você terá a análise de uma visão externa e independente do mandato, o que vai ser muito importante em algumas decisões de posicionamento.

Com a definição da equipe, prepare-se, pois a sua carreira política será outra a partir deste momento. Falta decidir quais são as mídias digitais a serem trabalhadas.

Site, Facebook, Twitter e Instagram são as principais mídias e com certeza atenderão as expectativas e necessidades de qualquer político, mas isso não impede que outras sejam exploradas. Porém, um trabalho de marketing digital para políticos precisa ter, necessariamente, pelo menos um site (blog) e uma fan page no Facebook. Sem isso, é impossível.

Algumas redes sociais que podem ser exploradas pelos políticos

O mais importante, após a escolha das mídias, é mantê-las atualizadas e conexas entre si. Nem todo conteúdo que entra em uma é obrigado a entrar nas outras, mas assim como a atualização constante, a interação é indispensável à obtenção de resultados positivos.

Posicionamento pós-eleições para políticos que já têm mídias digitais

 

Como você está sendo visto nas mídias digitais por seus eleitores? As eleições municipais acabaram há pouco e, se você concorreu a algum cargo de prefeito ou vereador, independentemente do resultado, faça uma autoavaliação de seu posicionamento digital. Faça-a, preferencialmente, com o auxílio de uma visão externa e independente, como uma consultoria de marketing digital.

Seu partido, seus apoiadores e apoiados podem implicar a necessidade de um reposicionamento. Como você usou suas redes digitais na campanha, com certeza seus seguidores já perceberam se houve mudança, possivelmente com algumas críticas.

Porém, se você precisa se reposicionar, não é necessária uma postagem explicando isso, mas é fundamental responder a todos os comentários e recados, inclusive os privados, esclarecendo tudo sem deixar dúvidas. Os demais seguidores perceberão e entenderão as mudanças ao longo do mandato.

Contudo, mesmo você já mantendo um trabalho online, é preciso fazer um novo planejamento, de preferência com uma nova identidade visual, afinal você tem quatro anos de mandato pela frente e precisa fugir dos desgastes das eleições. Seja para reforçar o seu posicionamento digital ou para um reposicionamento.

Marketing político digital para quem ganhou as eleições

 

Como visto, um posicionamento claro nas mídias digitais é indispensável. Se você se elegeu ou reelegeu, parabéns! É hora de prestar contas e colocar em prática as promessas de campanha. Não espere janeiro chegar: o trabalho digital começa no dia seguinte ao resultado das eleições.

Como você já mantém uma presença online, isso facilita, pois já existe um público que te acompanha. Seus trabalhos apenas terão continuidade, afinal, deram tão certo que você saiu vitorioso nas urnas.

A necessidade de um novo planejamento é fundamental para os seus futuros projetos políticos. É preciso pensar desde já se o foco será as eleições daqui a dois anos, ou se você quer tirar seu mandato e concorrer à reeleição em 2020.

Parece muito distante falar em novas eleições, visto que você acabou de sair de uma? Não é! Seu sucesso político vai depender muito do que você planejar agora. Sem susto! Isso não é campanha fora de época, nem marketing eleitoral, é apenas marketing digital.

Marketing político digital para quem perdeu as eleições

 

Se você perdeu as eleições, é hora de descobrir o que deu errado. Não necessariamente foi o seu marketing: diversos fatores, como a coligação, por exemplo, podem ser responsáveis.

Porém, uma derrota não significa o fim, mas o início de um novo trabalho, que deve partir de um planejamento que fortaleça a imagem e o posicionamento do político diante de seus eleitores, já visando as próximas eleições.

Evite assumir a posição de vítima ou derrotado, mesmo tendo sido. Essa atitude pode te fortalecer junto àqueles que te apoiaram, mas vai desgastar sua imagem com quem não te conhece. No máximo, as pessoas terão pena de você.

A melhor estratégia para quem perdeu as eleições é se apresentar como solução diante das necessidades da população que forem sendo esquecidas pelos eleitos. Contudo, é preciso trabalhar isso com muito cuidado, para não parecer oportunismo.

Outro fator importante é o perfil e o posicionamento do candidato, que deve estar bastante alinhado à sua ideologia. Não adianta forçar a barra, pois o eleitor é capaz de perceber até que ponto há coerência entre o que se fala e a realidade.

Assim, cada detalhe no desempenho dos trabalhos precisa ser cuidadosamente analisado e levado bastante a sério, principalmente no início. Lembre-se: todo o trabalho deve ser feito por profissionais qualificados.

Há diferença entre marketing eleitoral e marketing político?

 

Sim. Existe diferença entre um e outro. Até aqui, estamos falando de marketing político. Não saber diferenciar um do outro pode te trazer muita dor de cabeça.

A principal diferença está nas estratégias usadas em cada um deles. No marketing político, o objetivo é a geração de branding, ou seja, fortalecer a imagem do político nas mídias digitais. Por outro lado, o marketing eleitoral tem uma “meta de conversão” óbvia: conquistar votos a curto prazo.

No entanto, um não pode destoar do outro, visto que o que se produz no marketing político será determinante para o planejamento do marketing eleitoral.

Marketing político digital

 

O marketing político exige um planejamento a longo prazo, visando fortalecer positivamente a imagem do político na internet. O trabalho é focado na divulgação das ações do mandato junto ao público eleitor.

Todas as ações do mandato, desde a apresentação de propostas, votos a favor ou contra determinadas medidas, até o esclarecimento de possíveis notícias inverídicas ou não, devem ser divulgadas nas mídias digitais do político.

Um trabalho de marketing político só será completo e eficiente quando as mídias digitais do mandato forem vistas pelo público como porta-voz do político, espaços de interação e comunicação entre o eleitor e seu representante.

Marketing eleitoral digital

 

Ter um bom marketing político será determinante no planejamento e, principalmente, no resultado do marketing eleitoral. Com as restrições da Justiça e apenas 45 dias para a campanha – como determina a lei atualmente -, é imprescindível ter muita estratégia e planejamento para zerar qualquer chance de erro.

Um planejamento a curto prazo deve ser elaborado bem antes do início do período eleitoral e focado totalmente na conquista de votos. O desempenho das estratégias, bem como o envolvimento de voluntários, devem ser verificados e analisados várias vezes ao longo de todos os dias do período de campanha.

Estratégias como as do “marketing de guerrilha”, contando com pessoas treinadas, dedicadas e que acreditem e confiem no candidato, farão a diferença. Ou seja, não há segredo nem mistério, e sim planejamento, estratégia e muito trabalho.

Conte com uma agência de marketing político digital

 

Se você é político, disputou as eleições este ano ou pretende disputar no futuro, saiba que, desde já, a sua comunicação digital precisa ser planejada e ampliada.

Faça como os seus concorrentes, não espere as próximas eleições: encontre-se com seus eleitores no ambiente digital. Para isso, conte com uma boa agência de marketing para buscar os seus objetivos.

A Fizzy está no mercado desde 2011 e tem em seu portfólio clientes de diversas áreas, entre eles alguns políticos. Comprovamos nossos resultados e trabalhamos com as técnicas mais avançadas de marketing na internet.

Randolfe Rodrigues, Laura Carneiro e Romário são alguns políticos do portfólio da Fizzy

Somos parceiros oficiais do Google Brasil (Google Partners) e temos certificações oficiais em Google Analytics e AdWords. Também somos credenciados pela Abradi.

Entre em contato e solicite um orçamento. Estamos preparados para atendê-lo da melhor maneira!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin
The following two tabs change content below.
Tomi Farias

Tomi Farias

Graduado em Jornalismo, com MBA em Marketing, parte da equipe Fizzy, encontrou no mundo digital um verdadeiro sentido profissional. Um apaixonado por política desde pequeno, quando ao invés de assistir a desenho, preferia acompanhar o Horário Político Eleitoral.
Tomi Farias

Latest posts by Tomi Farias (see all)

  • 1 nov, 2016
  • Tomi Farias
  • 0 Comentários

Compartilhar

Categorias

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conversar